Sonata ao luar: Roteiro de estudo [Parte 1]

Parte 1 cc. 1-15 – Exposição – Introdução e Tema A

Para facilitar o estudo e não deixar o post tão longo, dividi o roteiro em sete partes e vou postá-las nas próximas semanas. Para conhecer mais sobre a obra dê uma olhada no post “Sonata ao luar, escuta guiada“, para conhecer mais sobre as sonatas de Beethoven, confira o post “Beethoven e as sonatas para piano“. A partitura que utilizarei como base nos posts é esta aqui.

A obra está na tonalidade de dó sustenido menor, por isto você vai encontrar 4 sustenidos na armadura. Armadura de clave é o conjunto da clave mais símbolos de acidentes, grafados sempre no início de cada pauta.

A fórmula de compasso representada pelo C cortado, é igual a 2/2. Neste caso, a figura que vale um tempo na obra é a mínima e cada compasso tem apenas 2 tempos.

Exposição: Apresentação das ideias temáticas (melodias), geralmente a exposição possui tema A, (escrito na tônica) e tema B (região dominante, ou relativa maior para tonalidades menores). Os temas A e B geralmente têm caráter contrastantes, se um é sério o outro tem mais humor, se um é lírico e denso o outro é mais leve, etc.

A introdução já apresenta como vai ser a textura da peça toda, a mão esquerda vai tocar baixos oitavados enquanto a direita tem o acompanhamento arpejado incessante, chamado de ostinato. É uma boa ideia aprender bem a introdução, pois a partir dela você já vai conseguir sentir a atmosfera da peça.

A partir do compasso 5 a mão direita introduz o primeiro tema, e acaba dividida entre melodia e acompanhamento.

Repare que às vezes, o acompanhamento será grafado na clave de fá e passa de uma clave para a outra, como na imagem acima (vermelho) mas deve ser executado pela mão direita independente da clave.

Dedilhado: O dedilhado usado nas oitavas costuma ser dedos 1-5 para teclas brancas e 1-4 para teclas pretas, desde que confortável para as mãos. Procure tocar as oitavas da mão esquerda seguindo esta regra. Às vezes convém substituir os dedos 4 e 5 para facilitar no legato.

Tema A

O primeiro tema é introduzido no compasso 5.

 A melodia começa com uma colcheia pontuada seguida de semicolcheia, com um ritmo diferente em relação ao acompanhamento. A semicolcheia é executada depois da terceira nota do grupo.

É importante que a execução deste motivo seja exata todas as vezes que ele reaparecer.

Repare no compasso 8, em verde, que às vezes o intervalo entre as notas da melodia e do acompanhamento pode ultrapassar o de uma oitava. Neste caso, tanto a nota lá como a nota si do acompanhamento serão executadas pelo dedo 1. Caso a abertura seja desconfortável, você pode arpejá-la, isto é, executar o la, com 1, e o si, com dedo 5 o mais rápido possível para “disfarçar” o pulo.

Até o compasso 15 você vai usar o dedo 5 para tocar a melodia, no compasso 5, ela passa para o polegar. Segue a ideia anterior, aqui o polegar segura a nota si enquanto dedos 2 e 4 tocam ré e fá.

Obrigado por ler até aqui, comentários e sugestões são sempre bem vindos!

Daniel

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Crie seu site com o WordPress.com
Comece agora
%d blogueiros gostam disto:
search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close